Dicas e Novidades

Abuso de substâncias e suicídio

Suicídio e abuso de substâncias
Há um índice que mostra que suicídio e abuso de substâncias são proporcionalmente verdadeiros. Dito isso, quanto maior o uso de drogas e quanto maior a destruição da pessoa pelo uso constante de entorpecentes, maiores são as taxas de suicídio em comparação com pessoas que parecem não ter o mesmo quadro.

É triste falar sobre isso, mas é uma realidade em todo o mundo. Infelizmente, mesmo com campanhas como SETEMBRO AMARELO, as taxas de suicídio ainda são altas em todo o mundo. Países como o Japão e outros países que pertencem à região europeia da Escandinávia estão no topo do ranking mundial em prática de suicídio.

Embora o Brasil seja considerado um país feliz onde dança e samba andam juntos e que somos muito receptivos a isso não significa que não tenhamos esses problemas agora.

Estamos felizes sim, somos uma nação em desenvolvimento, mas por outro lado, somos o país da América Latina que tem uma população obesa e outra com altos índices de depressão.

Isso implica diretamente nas diretrizes patrocinadas pelo SUS para o tratamento de obesidade, hipertensão, hipotireoidismo, depressão e outras comorbidades, como transtorno de ansiedade generalizada e transtorno afetivo bipolar.

  • Além dessas Situação somos uma nação em que o uso de drogas tem assumido proporções tão grandes que está estabelecido há mais de duas décadas, pois o problema da cracolândia por Órgãos pode ser resolvido publicamente. E ainda assim permanecemos sem solução. A epidemia de drogas atrapalha o desenvolvimento social de uma determinada região. Problemas básicos como o crime são os índices que mais aumentam quando, por exemplo, surge uma epidemia de crack. De pequenos furtos a tráfico público de drogas e assassinato.

Um quadro deprimente – O Brasil está se deprimindo, o suicídio e o consumo de drogas ganham destaque na saúde brasileira e no cenário internacional por outros fatores. No entanto, a depressão se tornou muito mais proeminente no mundo e em nosso país.

Atualmente, estamos enfrentando uma onda de pessoas tomando medicamentos. As famosas drogas agem em certas áreas-chave do cérebro como o sistema de recompensa do cérebro no córtex pré-frontal e no sistema nervoso central, como um sedativo geral nos processos metabólicos do corpo.

E isso não é uma coisa boa. Com o aumento da demanda por medicamentos comercializados nas redes básicas de saúde e farmácias populares, isso significa que a população brasileira está adoecendo mentalmente mesmo com o desenvolvimento econômico.

Drogas e ansiedade: A ansiedade extrema está diretamente relacionada a pessoas que cometem suicídio. O medo é um modo de sobrevivência humana, mas quando introduzido em loops não permite que o indivíduo pense com clareza e esses pensamentos de desespero e incerteza fluam propositalmente.

Portanto, um estado de medo severo pode ser um precursor do abuso de drogas e, posteriormente, do suicídio. Mas não é uma certeza! Existem várias variáveis ​​contidas neste meio. Por exemplo, uma das afirmações que podem ser descritas é que as drogas realmente induzem ansiedade extrema.

Normalmente, as pessoas que são viciadas em crack e cocaína após o abuso de substâncias têm seus níveis de dopamina significativamente reduzidos. Desta forma, o indivíduo entra em estado de transe deprimido. Onde pensamentos negativos atormentam o indivíduo. No entanto, pode não necessariamente evoluir para uma estrutura para a prática do suicídio. Mas pode fazer com que o indivíduo recorra a doses maiores de substâncias em uma situação de extrema ansiedade, e aí é perigoso.

Suicídio:
Suicídio é a prática em que uma pessoa se mata. Geralmente é feito em momentos de extremo desespero, solidão, depressão e abuso de substâncias. Como mencionado anteriormente, o suicídio e o abuso de substâncias estão relacionados à overdose do uso compulsivo e obsessivo da droga ou às consequências de parar o uso e lamentar o uso intencional como resultado. Ouvir sem julgamento

A melhor maneira de tratar as pessoas que estão prestes a cometer suicídio é valorizar a pessoa como um elemento humano. Todos nós temos o direito de cometer erros e sentir o remorso de que precisamos para mudar. Em vez de ativar aquele clique na mudança, o cérebro suicida entra em um ciclo depressivo e não vê solução para mudar a menos que ele saia de cena.

Isso implica momentos de extrema depressão e apatia em relação ao mundo ao seu redor. Muitas pessoas que tiveram pensamentos suicidas e viveram em depressão disseram que o mundo é cinzento e que nada pode ser feito a respeito. No entanto, muitos disseram que a imagem mudava se alguém os ouvisse sem julgamento.

Como tratar suicidas:
Normalmente o tratamento é administrado em hospitais psiquiátricos, especialmente se o suicida tiver um diagnóstico de distúrbios limítrofes ou bipolares graves. No entanto, há pessoas que tiveram idealizações suicidas e tentaram o suicídio, mas precisamente porque representam uma dependência química grave.

Portanto, existem clínicas de reabilitação que estão prontas para atender pessoas com essas tendências justamente quando estão sob os fortes efeitos de drogas que alteram sua percepção, como álcool, maconha, LSD, cocaína e crack.

E, como mencionado acima, nos casos terríveis de cocaína e crack, em que depressão e depressão andam de mãos dadas, a prática de tentativa de suicídio pode ser estabelecida.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é botao3.png
Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *