O Vício Afeta a Família

Como o vício afeta a família?
Quando falamos sobre vício em substâncias químicas, geralmente não estamos falando apenas de uma doença que afeta apenas uma pessoa, mas também de como o vício afeta a família e por que é necessário tratar todos os envolvidos.

Com base nessa premissa, é cada vez mais comum hoje haver um kit necessário para tratar não só os dependentes químicos, mas também os familiares desses usuários.

Dependendo da atitude do usuário, os laços entre familiares e entes queridos são afrouxados, ou mesmo rompidos, tanto na fase de abstinência das drogas quanto na fase de esconder as consequências da toxicomania, na qual mentiras e manipulações se transformam em presentes.

Segundo estudos realizados desde a década de 1970 sobre a dependência de drogas e medicamentos, a OMS afirmava em protocolo que a dependência química é uma doença mental e necessita urgentemente de tratamento em diversas áreas. Para esclarecer a realidade brasileira, estudos sobre como o vício afeta a família foram tão importantes que surgiram outras organizações, como a Federação Amor Exigente. Organização voltada especificamente para pessoas que são afetadas emocionalmente por viciados em drogas. Mostraremos porque é tão difícil lutar contra uma doença tão silenciosa, progressiva e mortal. comprometer emocionalmente. Existem locais especiais, como grupos de apoio para ajudar familiares de usuários de drogas.

Uma doença, muitos fatores
Uma doença difícil de tratar que requer mais de uma pessoa para fazer esforço. Não é como uma dor de cabeça em que você apenas toma um remédio e ele passa. A dependência química é uma doença de início lento que afeta lentamente o cérebro, as atitudes, a personalidade e os apegos.

É mais como uma enxaqueca que você toma remédio e ainda persiste. Ele sente falta do dia de trabalho, vai para a cama, está melhor, mas quando ele se levanta ela está lá e bate de novo na cabeça. E até descobrir, por tentativa ou erro, o que causa essa enxaqueca, você ainda vai sofrer.

Existem vários fatores que fazem com que uma pessoa se torne viciada em uma substância. Podem ser fatores psicológicos, comorbidades, traumas ou padrões de comportamento que foram trazidos desde a infância até o presente, mas que influenciam o uso de drogas. São levados em consideração os famosos comportamentos de dependência.

Por outro lado, todos os fatores que levam uma pessoa a usar drogas como as anteriores também podem ser decorrentes do uso abusivo das mesmas. Por exemplo, comorbidades como esquizofrenia, transtorno bipolar e transtornos de ansiedade generalizada podem resultar do uso pesado de drogas.

O mais comum, entretanto, é que a droga é uma válvula de escape para vários gatilhos. A pessoa não sabe lidar com determinada situação incômoda e usa a substância para esquecer o problema, mas fugir não significa resolvê-lo. O problema continua e o ciclo de uso se instala.

Fraquezas
As fraquezas emocionais que resultam do vício químico podem levar ao colapso da própria família. Não é à toa que muitos viciados em drogas graves ficam sem-teto sem culpar a família, mas às vezes não sabem como lidar com a situação por falta de educação.

Para a personalidade não sofisticada e viciante ou para alguém que está sendo obrigado a fazer algo, é difícil ver um pai, filho, mãe ou tio mergulhando em qualquer substância, independentemente da legalidade. A pessoa sente a dor, mas não sabe como ajudar porque não entende o que é ter a doença da dependência química. . Assim, o vício tem forte impacto na família. Ser impotente significa ter as mãos amarradas para lutar contra algo que você não entende.

Compreender o abuso de substâncias é a primeira forma de ter armas para ajudar as pessoas a combater a doença. Quanto mais você sabe sobre o assunto, menos surge a sensação de impotência. E há muitas maneiras de obter esse conhecimento.

Encontros Abertos de NA
Respeitado grupo já conhecido pelo imenso trabalho feito para recuperar milhões de viciados em drogas ao redor do mundo, Narcóticos Anônimos é interessante por revelar o problema da dependência química. Além disso, entrar em contato com esta agência pode ser útil, mesmo se você não for viciado. Além disso, há reuniões abertas para os membros da família aprenderem mais sobre o abuso de substâncias.

Amor Exigente
A Federação Amor Exigente é um importante grupo de apoio para pais e educadores compreenderem precisamente a temática das drogas e quais as atitudes a tomar no contexto educacional e de aconselhamento dessas pessoas.

CAPS
Os Centros de Atenção Psicossocial são um braço do SUS brasileiro com o objetivo de cuidar do psiquismo da população brasileira. Por isso, os CAPS realizam conferências com psiquiatras e psicólogos com o intuito de orientar as famílias sobre todo o tema dos transtornos mentais. Além disso, muitas famílias recorrem a essas instalações para obter ajuda na internação do familiar.

Força, Foco e Fé
Finalmente entendemos como o vício afeta a família nessa questão. Preocupa-se justamente porque não se trata de falta de empatia, mas de não poder viver o comportamento viciante da doença associado ao consumo de entorpecentes na pele.

No entanto, confiar no conhecimento sobre a dependência química é a melhor arma para ajudar as pessoas que a sofrem. Entender que é um pouco difícil de controlar mas tem tratamento adequado é o primeiro passo para recorrer às formas de tratamento. Além disso, se houver necessidade de tratamento, entre em contato com a Clínica de Reabilitação RJ e conheça todas as nossas unidades.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é botao3.png

Tratamento da dependência química e a família

A Família no Tratamento da Dependência Química

Para a recuperação do dependente químico, além de todos os cuidados e esforços que a Clínica de Reabilitação oferece, o envolvimento da família é muito importante. E é por isso que neste artigo vamos falar sobre a família no tratamento da dependência de drogas. A toxicodependência é um tema que ainda causa confusão, especulação e até polémica entre as pessoas. Mesmo aqueles que estão familiarizados com este problema muitas vezes não entendem o que ele realmente significa.

É comum encontrar pessoas que acreditam que a dependência química é uma transgressão. Mas desde 2001 a OMS (Organização Mundial da Saúde) classifica como um transtorno mental.

A dependência de produtos químicos não é apenas um problema de saúde, mas também um problema social em grande parte do mundo.
Dado o fato de que o abuso de substâncias é um grande drama social, existem métodos eficazes para combater esse problema. E o lugar ideal para colocar esses métodos em prática é a clínica de reabilitação.

Na clínica de reabilitação, a pessoa que necessita de cuidados recebe ajuda médica para que a saúde do seu corpo seja restaurada. Ou, na melhor das hipóteses, preservado.

Além da saúde física, o paciente também recebe apoio psicológico por meio da terapia cognitivo-comportamental (TCC). O CBT pode ser usado individualmente, em grupos ou em famílias.

Existem muitos estudos que mostram que a dependência química afeta não apenas os viciados, mas também seus familiares.

O papel da Compreensão da Família no Tratamento da Dependência Química

Para a recuperação do paciente, além de todos os cuidados e esforços que a clínica de reabilitação oferece, o envolvimento da família também é muito importante.

A família deve apoiar os parentes não só durante o tratamento, mas também após a alta, se o paciente já estiver em casa e o risco de recaída for muito alto.

A família deve ajudar o dependente químico a evitar gatilhos que possam levar ao contato com a substância.

Evite Por exemplo, pessoas ou lugares onde o familiar tem fácil acesso a drogas. Porque, mesmo que o paciente esteja totalmente recuperado, um simples contato com a droga que causou o vício pode trazer tudo de volta ao início e o combate à doença recomeça, incluindo a readmissão na clínica de convalescença.

  • Mas e se a família também for afetada? Como posso ajudar? Você se lembra que conversamos sobre o TCC? Terapia cognitiva comportamental? Que pode ser usado individualmente ou em família? É assim que é. Aqui está a ajuda que a família recebe para capacitar seus entes queridos e ajudá-los a se livrarem das drogas. No CBT, toda a família, incluindo o adicto, entende o que é o vício, como se originou e quais são as circunstâncias. influencia e também pressupõe a condição existente. Porque é bastante comum que familiares e entes queridos neguem ou ignorem o problema.
  • Entre em contato com a Clínica de Reabilitação RJ, nós podemos ajudar!
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é botao.png